Psicoterapia

O termo psicoterapia (do grego psykhē – psique, alma, mente, e therapeuein – cuidar, curar; primeira referência ca. 1890) refere-se às intervenções psicológicas que buscam melhorar os padrões de funcionamento mental do indivíduo e o funcionamento de seus sistemas interpessoais (família, relacionamentos etc.). Como todas as formas de intervenção da psicologia clínica, a psicoterapia: utiliza meios psicológicos para atigir um fim específico (a cura ou diminuição do sofrimento, estresse ou incapacidade do paciente, geralmente causado por um transtorno mental), baseia-se no corpo teórico da psicologia e é praticada por pessoal especializado (o psicoterapeuta ou psicólogo clínico) em um determinado contexto formal (individual, em casal, com a presença de familiares, em grupo – de acordo com a indicação).[1] Em linguagem comum, o termo “psicologia” é muitas vezes usado no lugar de “psicoterapia”. Em linguagem mais própria, no entanto, “psicologia” refere-se à ciência e “psicoterapia” ao uso clínico do conhecimento obtido por ela. Da mesma forma, costuma haver confusão entre os termos “psicoterapia” e “psicanálise”. Enquanto aquela refere-se ao trabalho psicoterapêutico baseado no corpo teórico da psicologia como um todo, psicanálise refere-se ao trabalho baseado nas teorias oriundas do trabalho de Sigmund Freud; “psicoterapia” é, assim, um termo mais abrangente, englobando outras linhas teóricas além da psicanalítica.